terça-feira, 16 de dezembro de 2008

Espasticidade

Desde a antiguidade sabe-se que algumas formas de paralisia são acompanhadas de “enrijecimento” dos membros, constituindo o que hoje denominamos por paralisias espásticas. A espasticidade caracterize-se pela dificuldade de se movimentar passivamente uma articulação, devido à intensa contracção dos músculos que normalmente a mobilizam, e pela tendência a voltar imediata para a posição original quando cessa a força imposta externamente. A rigidez, tão característica da doença de Parkinson, ao contrário, faz com que persista a nova posição de uma articulação mobilizada passivamente, quando cessa a força que a movimentou.


Quando a espasticidade afecta um lado do corpo denomina-se hemiplegia espástica. Ao caminhar, o hemoplégico não consegue flectir o membro inferior afectado (padrãode flexão no membro superior e de extensão no membro inferior), o que o leva a executar um movimento em arco, dirigindo primeiro para fora e em sequência para dentro. Somente com este moviemnto o paciente consegue mover o membro para diante.







Quando ocorre paralisia bilateral denomina-se paraplegia espástica. Nas formas graves e de instalação na infência a forte espasticidade dos adutores das coxas compromete de modo mais acentuado a marcha porque força a adução das pernas quando o corpo é propelido para a frente, originando o padrão conhecido por marcha em tesoura.


Quando a paralisia afecta os quatro membros denomina-se tetrapelgia espástica.





Clinicamente a espasticidade caracteriza-se por vários fenómenos peculiares:


  1. Ela nunca afecta um só musculo, englobando sempre grupos musculares;
  2. Os músculos espásticos são salientes na massa muscular e parecem muito firmes à palpação, devido à sua contracção, que é em geral forte e persistente;
  3. Tentando-se estirar uma articulação, os músculos comportam-se como uma mola, tendendo sempre a voltar automaticamente à posição anterior;
  4. Quando se consegue dobrar uma articulação, a resistência muscular é de inicio muito forte, porém no final cede de forma brusca (sinal de canivete);
  5. Quando se tenta dobrar a articulação lentamente, o músculo espástico cede também devagar mas se a manobra é rápida a resistência aumenta;
  6. Percutindo-se o seu tendão para provocar uma reflexo miotático (ou de estiramento), o musculo contrai-se mais intensa e rapidamente do que o normal (hiper-reflexia), uma das mais claras e precoces manifestações de espasticidade;
  7. Se esta é muito intensa, o estiramento mantido de um músculo pode desencadear movimentos e regularmente rítmicos denominado de clono;
  8. Quando a espasticidade é muito intensa os reflexos do estiramento podem ser desencadeados mesmo quando se percutem regiões distantes alguns centímetros dos tendões (aumento da área relexógena);
  9. A estimulação da borda externa da planta do pé de um membro inferior espástico provoca a extensão lenta do primeiro dedo (sinal de Babinski); no membro superior ocorre manifestação homóloga (Sinal de Hoffmann).

No que diz respeito ao tratamento, as medidas iniciais a tomar são o posicionamento adequado do paciente evitando posturas viciosas, e a instituição precoce da mobilização passiva das articulações. O objectivo destas manobras é evitar o estiramento dos músculos e evitar as contracturas. Com essa mesma finalidade podem-se também empregar vários tipos de ortóteses que mantêm a posição desejada e facilitam a mobilização. A seguir é conveniente efectuar diferentes técnicas, usadas geralmente em associação ao tratamento medicamentoso e, quando necessário, cirúrgico.

Para o tratamento podemos recorrer a diversas técnicas:
  • Técnicas de Bobath
  • PNF
  • Margaret Johnstone
  • Mobilização passiva / activa
  • Termoterapia
  • Estimulação eléctrica
  • Vibração
  • ...

FONTE: Reabilitação em Doenças Neurológicas - Guia de Tratamento Prático

8 comentários:

Jorge Mendes disse...

Ola

Mais uma vez um artigo muito bom.

Susana disse...

Que bom

A minha terapeuta favorita voltou, e com um magnifico artigo.

Parabéns.

Vou estar ausente e portanto desejo-te umas boas festas.

Tiago Matias disse...

Oi
Estamos muito ausentes do blog mas nesta altura compreendes trabalhos exames.

Queremos dizer-te que o artigo é muito bom e óptimo para o pessoal cábula que por aqui anda.

Aproveitamos para desejar-te uma quadra festiva magnífica.

Alunos da ESSA

Angela Pereira disse...

Olá

Muito bom artigo.

Desejo que continue a publicar artigos científicos, mas também que possa efectuar algum trabalho da sua experiencia profissional, que será sem dúvida muito útil para os estudantes de Fisioterapia e de terapia ocupacional, como futuros profissionais

Boas festas

Mestre ESSEM

João Bernardo Barahona Simões Regalo Corrêa disse...

Boa Tarde

Em primeiro lugar os meus parabéns. Vim aqui por indicação de uma colega minha e fiquei muito satisfeito por ver, não só a qualidade dos trabalhos apresentados como também, o indicie de participação.

Quero dizer que após leitura atenta de todos os comentários reparei que teve um caso complicado a do Nuno, que teve um desfecho triste mas previsível.

A sua resposta ao problema mencionada foi adequada e correcta, ficando somente na minha opinião poder ter sido acrescentado os processos químicos, como o Tadalafil,Vardenafil HCl ou mesmo o viagra.

A resposta que foi dada a companheira do Nuno demonstra, grande conhecimento da mente humana, e um humanismo muito raro hoje na nossa sociedade.

Por todos estes aspectos, pelos seus artigos, pela dedicação que é notória pela feitura do blog, e alimentação do mesmo, pelo carinho que de certeza tem com os seus pacientes quero deixar aqui o meu sincero agradecimento.

Sei do que falo, como deve calcular.

Mais uma vez o meu obrigado

Neuropsiquiatra
Hospital Egas Moniz

Carlos Guilherme disse...

Bom dia

O cromo que estuda comigo falou deste artigo.

Vim ver e gostei.

Estas de parabens.

Anônimo disse...

Dia 05/03/2010 Dr Cristiano Milani participará de uma entrevista no programa Mais voce (Ana Maria Braga) logo após a exibição da matéria no Mais Você, ele participará ao VIVO, de uma entrevista no site do programa na internet. Permanecerá por meia hora respondendo perguntas dos internautas sobre suas duvidas em relação ao tratamento de:
Espasticidade Disfuncional (rigidez muscular excessiva) decorrente de seqüelas neurológicas de AVCs, Esclerose Múltipla, Paralisia Cerebral e Traumatismos Cranianos e Raqui-medulares; Distonias, que são um conjunto de doenças que promovem contrações musculares intensas, com posturas anormais e muito dolorosas; Espasmo Hemifacial, conhecido popularmente como “tique nervoso”; e Hiperidrose (sudorese excessiva), que pode atingir as mãos, pés, axilas e outras regiões corporais; Aproveitem para esclarecer suas duvidas sobre o tratamento com toxina botulinica tambem pelo Blog
http//toxinabotulinica.zip.net

Aline disse...

Muito bom.Me ajudou bastante.