terça-feira, 21 de outubro de 2008

Articulação Acromio-Clavicular

Antes de iniciar a explicação, saliento que o termo “separação do ombro de segundo grau” é o mesmo que luxação da articulação acrómio-clavicular de grau II, só que a primeira é “brasileiro” e a segunda “português”.



A estabilidade da articulação acromio-clavicular é conferida pela cápsula articular e pelos ligamentos córaco-claviculares (conóide e trapezóide). Devido à sua posição anatómica, esta articulação sofre frequentemente traumatismos que se traduzem na perda da sua integridade articular.

A lesão total dos mecanismos estabilizadores entre o acrómio e a clavícula é a luxação acromio-clavicular aguda que pode provocar importantes perturbações na força muscular do ombro e no mecanismo de deslizamento subacromial.

Quando falamos em luxações da acromio-clavicular, optamos normalmente pela classificação de Allman-Tossy, pois algumas vezes o exame radiológico é de difícil interpretação pela má definição da articulação acromio-clavicular. Esta classificação é mais abrangente e mais fácil de ser interpretada, pois as luxações acromio-claviculares dividem-se em:

Grau I – Pouca lesão ligamentos, não há separação dos ossos.


Grau II – Ruptura parcial dos ligamentos, não completa. Ao esforço, articulação apresenta dor e instabilidade.

Grau III – ligamentos completamente rompidos, com separação completa dos ossos, e deformidade visível.



No entanto, de acordo com Rockwood as luxações podem classificar-se desde o Grau I até ao Grau VI, sendo que Allman-Tossy engloba os Graus IV, V, VI na sua definição de Grau III. A percentagem do desvio e direcção da extremidade distal da clavícula definem as variações entre os Graus IV, V e VI.




8 comentários:

Jorge Mendes disse...

Boas

Artigo claro e esclarecedor.

Muitos Parabéns

Tiago Matias disse...

Muito bom dia

Muito obrigado.

Vou fazer uma figura com esse artigo, e com a sua explicação.

Não há duvida que és a nossa “madrinha virtual”.

Já avisei o people que qualquer duvida perguntem a nossa “madrinha”

Susana Costa disse...

Ola

Tenho 24 anos, sou estudante de economia, sou magra e sofro de dores musculares nas costas, sobretudo na zona dos ombros e omoplatas. Foi-me aconselhada a prática de exercício para criar músculo na zona das costas. Que modalidades, além da natação, podem ser benéficas para as minhas costas? Existem exercícios ou modalidades que não devo praticar? Que cuidados específicos devo ter antes de praticar exercício? Poderia indicar-me exercícios que possa fazer em casa diariamente?

Pedro Girotto disse...

tenho 22 anos, pratico musculação a mais ou menos 4 anos e a uns 3 venho sentindo dor no ombro devido a uma série mal executada de supino reto. Foi detectad artrite acromio clavicular juntamente com um pequeno cisto no local, mais precisamente na ponta da clavicula. trato com fisioterapia e ja fiz infiltração. alguma coisa que possa ser feita que de dê resultados de melhora ? ou só cirurgia é recomendada ? muito obrigado

isabella disse...

boa tarde. preciso de ajuda para decidir o meu problema é identico ao pedro girotto-lesao em manguito dos rotadores do ombro,pequena calcificaçao,artrite acromio-clavicular,52 anos hipotiroidismo.PRECISO OPERAR URGENTE segundo medico.Nao tenho outra alternativa? help-me estou apavorada.alem da grana que terei que pagar. agradeço muito .remigne

pablo bendezu vasquez disse...

olá, sou o Dr. Pablo Bendezú, do Perú, estudei medicina em Goiânia-Go. em 1974 a 1989. Estou dedicado à US Musculoesqueletica e Partes Moles. Fiz uma passantia em Goiânia em 2007 a 2008 com o Dr. Monres José Gomes e atualmente também estou lecionando essa subespecialidade numa instituiçao chamada Transmedic aqui no Perú. Tem sido uma grata surpresa encontrar o seu artigo que acho que é excelente. Gostaria poder contar con mais informaçao sobre Reabilitaçao de outras articulaçoes pois, embora nao seja ortopedista ou radiologista, sempre sou requerido pelos pacientes e colegas. Na verdae, estou introduzindo seriamente a musculoesqueletica no meu país e em Transmedic os colegas criaram o blog e gmail "imaginologos"
http://imaginologos.blogspot.com/ com a esperança de enriquecer os conhecimentos. O seu aporte será valioso e bemvindo.
O meu e-mail é
draco_bendezu@hotmail.com
Obrigado e, parabens pelo seu artigo.

Magda Rebelo Jacinto disse...

Antes de mais gostaria de pedir desculpa, principalmente ao Pedro Girotto pela demora da resposta.

De acordo com a informação que tenho parece-me que os dois casos não são semelhantes, no entanto não tenho informação suficiente para vos dar uma resposta tal como querem. Nestes casos é importante ter um real conhecimento da patologia e da sua extensão, que só se consegue vendo os exames.

No caso do Pedro, a artrite que apresenta parece ser posterior a um esforço, esforço esse que deveria ter sido retirado logo após o inicio dos sintomas de dor. Isso não aconteceu, pelo contrário, continuou com a praticar musculação, o que pode ter vindo a agravar progressivamente o quadro.

O caso da Isabella é diferente, pois apresenta lesão da coifa dos rotadores. Neste caso é necessário perceber qual a lesão. (remeto para novo artigo – Outubro 2009)

Em qualquer um dos casos a intervenção cirúrgica pode ser uma opção, no entanto remeto para que solicitem outra opinião médica, para que possam avaliar os vossos casos, através dos vossos exames complementares de diagnóstico.

Magda Jacinto

Alvaro Yujin disse...

Olá.
Sou praticante de Jiu-jitsu e eu tive uma luxação acromio clavicular Tipo I há quase 2 meses.
Pois é... o médico disse pra eu passar esse periodo na tipoia, e passando gelo e tomando anti inflamatorios.
Queria saber se não é tempo demais pra começar a fisio. Já não consigo levantar meu braço até o alto. E meu medo é não poder fazer mais isso mesmo com a fisioterapia.
Obrigado.